quarta-feira, 26 de novembro de 2008

A cultura pop nos filmes de Tarantino

O Max Cirne finalizou um Trabalho de Conclusão de Curso sobre a cultura pop nos filmes de Tarantino.
As análises sitemáticas do trabalho demonstraram uma quantidade enorme de referências.
No programa mencionamos o que é cultura pop e como ela está presente nos filmes do diretor.
Depois falamos sobre a maneira como Tarantino utiliza as refências de cultura pop: o diretor copia os outros filmes? Ou recria? Se recria, qual é o valor agregado às novas realizações?

Links:
Referências no Cinema: Neste link há vários exemplos de referências dos filmes de Tarantino.
O Código Tarantino: Selton Mello e Seu Jorge dizem ter descoberto os cógido dos filmes de Tarantino.
Na foto: cena de "À prova de morte" (Death Proof) - homenagem aos filmes Grindhouse.

Indicativos da Reforma da Lei Rouanet

"Há algumas semanas estamos repercutindo aqui no quadro ‘Legislação e Políticas Culturais’ o processo de reforma da Lei Rouanet que está em curso, movido pelo Ministério da Cultura.
O Ministro Juca Ferreira está participando de uma série chamada ‘Diálogos culturais’ em que expõe as considerações acerca do estado atual do sistema da Lei e aponta as diretrizes para a reforma.
No blog da Reforma, estão publicados os slides que Juca Ferreira está usando para expor as informações. Ali já podemos ter idéia sobre algumas mudanças efetivas que serão propostas.
Há a possibilidade de todos os projetos atingirem 100% de renúncia fiscal, bastando que tenham boa pontuação no momento da análise da Comissão Nacional do Incentivo à Cultura. Atualmente há um rol de áreas que podem obter a renúncia de 100%. As áreas culturais que não estão nesse rol recebem incentivo fiscal nos percentuais convencionais, que ficam em torno de 30%.
Outra alteração seria a criação de um decreto presidencial a ser editado todos os anos com as diretrizes que devem orientar os incentivos. Ou seja, a cada ano o Presidente da República teria que publicar os critérios pelos quais os incentivos seriam concedidos naquele período.
Esta proposta tende a gerar certa polêmica. O sistema da Lei Rouanet é complexo e envolve a participação de vários setores da sociedade e do poder público. Neste caso, se estaria concedendo ao Executivo maior autonomia do que possui atualmente. As diretrizes para os incentivos fiscais hoje estão fixadas na própria Lei Rouanet e não exigem, sequer admitem, complementação presidencial.
O texto deste quadro estará á disposição no blog http://www.trilhasdocinema.com.br/.
Quem quiser se aprofundar no assunto pode acessar o blog: blogs.cultura.gov.br/reformadaleirouanet.
Um abraço e até a semana que vem com mais um ‘Legislação e políticas culturais’."

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

O cinema de Michael Haneke


Tivemos a satisfação de contar com a participação da Ana Paula Penkala.
A Ana apresentou um trabalho sobre o Haneke no Regiocom, evento internacional sediado na UCPel entre 12 e 14 de novembro.
Haneke se destaca por sua estética bastante peculiar: filmes com ritmo lento, mas com picos de violência. É uma obra complexa que Ana Paula está estudando no doutorado na UFRGS.
Recenetemente o diretor fez uma refilmagem americana de Violência Gratuita.


Esperamos que gostem.
O programa já está à disposição na barra ao lado.

Jenifer Morais - Star Wars


video

Quadro "Qual é a sua trilha?". A Jeniffer Morais pediu Star Wars e nós tocamos.

Composição: John Williams.

Verba para Cultura pode aumentar em 2009

"A verba do Governo Federal para aplicação direta em Cultura pode quase dobrar em 2009. Se as emendas ao Orçamento que tramitam na Câmara e no Senado forem aprovadas, o montante pode chegar a 2,1 bilhões de reais. Significa 0,9 por cento do orçamento brasileiro.
A disputa por maior dotação orçamentária foi uma das bandeiras da administração de Gilberto Gil. A Unesco recomenda que haja pelo menos 1 por cento. Mas a realidade no Brasil geralmente ficava aquém deste percentual. De 0,2 por cento entre 2002 e 2003, passando por 0,5 por cento em 2007, pode-se chegar a 0,9 por cento em 2009.
Não se deve esquecer essa verba é para aplicação direta, ou seja, para investimento nos projetos que o Ministério da Cultura seleciona desenvolver. Há também mais um montante aplicado por meio das Leis de Incentivo à Cultura, que tem variado em torno de 1 bilhão de reais por ano.
A ampliação da dotação orçamentária ainda tramita nas Comissões de Educação e Cultura do Senado e da Câmara. Vamos acompanhar se vai mesmo ser concretizada.
Este quadro estará à disposição no blog do programa: www.trilhasdocinema.com.br.
Um abraço e até a semana que vem com o próximo ‘Legislação e Políticas Culturais’."

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Paul Thomas Anderson


O diretor de clássicos dos anos 90: Boogie Nights e Magnólia.

Da geração do VCR (Video Cassete Recorder). O primeiro grupo de diretores que cresceu influenciado pelos filmes locados em videolocadoras. Demonstram um conhecimento invariavelmente vasto da cultura cinematográfica. No grupo, também se destaca Quentin Tarantino.

P.T. Anderson lançou em 2007 o filme Sangue Negro, que teve sucesso de público (aprox. 75 milhões de dólares de bilheteria) e de crítica, sendo indicado a 8 Oscars.

Esperamos que gostem do programa!!
(na foto, P. T. Anderon dirige Daniel Day Lewis no filme Sangue Negro.)


A reforma da Lei Rouanet

As discussões sobre a reforma da Lei Rouanet seguem em ritmo acelerado. Como já mencionamos neste quadro, no novo Ministro da Cultura, Juca Ferreira, iniciou uma empreitada para executar a tão discutida reforma.
A Lei Rouanet é responsável pela injeção de aproximadamente 1 bilhão de reais na área Cultural. Mas a distribuição desses recursos tem apresentado problemas de concentração. Por exemplo, em 2006, foram mais de 80% do total para Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. O Rio Grande do Sul ficou com aproximadamente 4 por cento.
A concentração não é a única crítica ao mecanismo. Quem quiser se inteirar mais sobre isso, sob o ponto de vista do governo, pode acessar o blog: blogs.cultura.gov.br/reformadaleirouanet.
O Ministério da Cultura tem feito uma série de “diálogos culturais”, para debater questões relativas à administração cultural, como os novos rumos do IPhan e da Funarte. Mas o tema principal gira mesmo em torno da reforma da Rouanet. Os diálogos já foram realizados no Rio de Janeiro e em Salvador e agora chegam a São Paulo. Ainda não há previsão para os diálogos culturais no Rio Grande do Sul.
Os editores do site “Cultura e Mercado” estão com uma campanha para a fiscalização do processo de reforma. O site trata exclusivamente de questões culturais, com um time respeitável de colaboradores, e tem se destacado por fazer um contraponto às gestões de Gil e Ferreira no Ministério.
Os editores do site alegam que é preciso conhecer para mudar. Eles estão elaborando um documento com perguntas sobre a Lei Rouanet. O documento pode ser visualizado no site e o internauta pode sugerir perguntas. Anote aí o endereço: http://www.culturaemercado.com.br/.
Nas próximas semanas seguiremos repercutindo a pauta da reforma da Lei Rouanet.
O texto deste quadro estará a disposição no blog do programa: http://www.trilhasdocinema.com.br/.
Um abraço e até o próximo “Legislação e Políticas Culturais."

Qual é 21 - Sandra - Ghost

video

Qual é a sua trilha? 21

Sandra pediu Ghost.

Rodamos a clássica "Unchated Melody", de Alex North e Hy Zaret, interpretada no filme por "The Righteous Brothers"

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

O fascínio das imagens - clipes do Gotan Project


Conversamos sobre a fascinação das imagens.
A Ju Recart está finalizando um Trabalho de Conclusão de Curso sobre o tema e comentou algumas questões.
Por exemplo:
Você sabe o que é fascinação estética?
Metaimagens?
E fantasmagoria tecnológica?

Foram alguns dos temas conversados no programa.

O trabalho da Ju Recart tem foco no clipe "Santa Maria del Buen Ayre", do Gotan Project. Conforme prometido, postamos um link para assistir ao vídeo no YouTube.
De quebra, outro clipe do grupo, da mesma diretora (Prisca Lobjoy): "Diferente".

Clipe Diferente.

Vocês podem ouvir o programa clicando no botão ao lado: "Programas completos".
Na foto, imagem do clipe "Santa Maria".
Esperamos que gostem!!


"Oh, Preety Woman" (Uma linda mulher), de Roy Orbinson


video


Qual é a sua trilha?

A Lara pediu e nós tocamos.

Filme "Uma linda Mulher".

"Oh, Preety Woman", de Roy Orbinson.

"Estado e Cinema no Brasil", de Anita Simis

" Por que a indústria do cinema brasileiro não se desenvolveu? O Estado não deu o apoio necessário? E agora o Estado oferece esse apoio? Ou os cineastas do Brasil não têm competência? Ou, ainda, é o cinema americano que não deixa o nacional se desenvolver?
Essas e outras questões são tratadas com detalhes no livro ‘Estado e Cinema no Brasil’, de Anita Simis. O livro é resultado de 10 anos de trabalho sobre alguns dos momentos cruciais da relação entre o Estado e o Cinema no país. As discussões sobre essa história podem ajudar a entender a situação em que estamos hoje e a construir os passos para o futuro.
Sabemos que hoje o Cinema nacional vem demonstrando uma notável evolução técnica, inclusive com reconhecimento internacional. 'Central do Brasil', 'Cidade de Deus' e 'Tropa de Elite' são apenas alguns exemplos representativos.
Mas acontece que o cinema nacional não consegue atingir os índices de mercado que essa produção merece. Para se ter uma idéia, o pico das bilheterias do cinema brasileiro desde a década de 1990, foi em 2003, quando atingiu cerca de 16 por cento nos cinemas brasileiros. Alguns filmes puxaram os índices: Carandiru, Lisbela e o Prisioneiro e os Normais.
Só que o mais comum é variar na casa dos 10%, bem aquém do necessário para manter um mercado de Cinema e dos quase 30% que chegou a ter na década de 1970.
Por isso tudo têm sido feitas constantes discussões acerca das formas de impulsionar a indústria do Cinema.
Para quem quer se inteirar um pouco mais do assunto, este estudo da Anita Simis parece ser fundamental.
Lembrando: ‘Estado e Cinema no Brasil’, de Anita Simis.
O texto deste quadro estará à disposição no blog http://www.trilhasdocinema.com.br/. Um abraço e até o próximo ‘legislação e políticas culturais’. "

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Cairo Pinheiro - A Ponte do Rio Kwai (Malcolm Arnold)


video


Qual é a sua trilha? Cairo Pinheiro pediu e nós tocamos.

"A Ponte do Rio Kwai".

Filme de David Lean. Trilha de Malcolm Arnold.

Ministério da Cultura intensifica movimentação para reforma da Lei Rouanet

" O Ministério da Cultura deu início à empreitada para reformar a Lei Rouanet. Há uma série de medidas que tenciona alterar até o ano que vem alguns dos mecanismos da principal forma de financiamento do governo federal em cultura.
Segundo o site do Ministério, o objetivo é realizar fóruns de discussão em cada região do Brasil.
Além disso, já está no ar um blog para a publicação de documentos sobre a Lei. O espaço virtual também serve para manifestação do público. O endereço é o seguinte. Não é fácil, então preste atenção e anote: blogs.cultura.gov.br/reformadaleirouanet/.
O Ministro sinalizou que defende a inclusão de formas para controlar a concentração de recursos. Por exemplo, medindo o índice de desenvolvimento humano do contexto de produção do projeto financiado.
Outro tema destacado é a dedução de 100% no imposto de renda. Da forma como está hoje, a Lei Rouanet autoriza em algumas áreas que a empresa obtenha abatimento no imposto sobre todo o valor que empregou no projeto. Segundo o Ministro, quando for assim, ou seja, dinheiro 100% público, o Estado deveria aplicar diretamente nos projetos seguindo os critérios da administração pública.
Enfim, ainda temos um longo caminho de debates até o projeto final para alteração da Lei Rouanet.
Quem não conseguiu anotar o blog sobre a reforma da Lei Rouanet, pode entrar no blog do programa que vai conter um link direto. Além, é claro, do texto completo deste quadro.
O endereço é www.trilhasdocinema.com.br/.
Um abraço e até o próximo Legislação e políticas culturais. "
Bruno Leites