terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Transição 2008/2009


Amigos do Trilhas...

Estamos entrando em recesso de fim de ano.
Nos dias 24/27 e 31/3.1 reprisaremos duas das melhores edições.

Janeiro será último mês desta primeira temporada do Trilhas do Cinema.
Por isso preparamos uma programação especial. Serão quatro programas com convidados especiais (alguns dos quais já participaram de outras edições ao longo do semestre).

07.1.09 - Documentário brasileiro contemporâneo - Prof. Guilherme Rosa (UFPel).
14.1.09 - Festival de Brasília do Cinema brasileiro - Prof. Andrea Schonhofen (UFPel).
21.1.09 - Western Spaghetti (Faroeste italiano): Sérgio Leone e outros - Juliano Lima (UCPel).
28.1.09 - Imagens de Arquivo - Prof. Michael Kerr (UCPel).

Em breve postaremos aqui as edições de Janeiro.
As edições de 2008 já estão disponíveis na barra ao lado direito do blog.

Adeus 2008.
Bem vindo 2009.

Foto: Sérgio Leone e Enio Morricone - parceiros em vários "Westerns Spaghettis" (tema do programa de 21.01.2009).

Lançamentos em DVD

Ouça os lançamentos que chegam às locadoras nas semanas de Natal e Ano Novo.

com Max Cirne.

video

video

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

25 - Irmãos Coen


Conversamos sobre os filmes dos Irmãos Coen.
Os Coen sempre trabalharam juntos desde as primeiras experimentações com a câmera. São uma caso raro de direção à dois - que na prática sempre ocorreu, mesmo na época em que apenas Joel assinava a direção.

O último filme da dupla, "Queime depois de ler", está nos cinemas em várias cidades do Brasil e em breve estará chegando em DVD.
O filme anterior, "Onde os fracos não tem vez", venceu o Oscar 2008 (talvez como um prêmio por toda a carreira dos Coen, que contém filmes importantes como "Barton Fink" e "Fargo").

O programa já está à disposição na barra ao lado.
Esperamos que gostem.
Na foto John Malkovich em "Queime depois de ler".

Michael Kerr - Talk Show Host (Romeu e Julieta)

video

Qual é a sua trilha? 25.

Michael Kerr pediu "Romeu e Julieta".

"Talk show host" - Radiohead.

Fundo Setorial do Audiovisual e edital para animação

"Hoje temos dois assuntos para Legislação e Políticas Culturais.
O Presidente Lula e o Ministro da Cultura, juntamente com várias outras autoridades ligadas ao setor cultural, lançou no dia 4 deste mês o Fundo Setorial do Audiovisual.
É a primeira medida para a setorização do Fundo Nacional de Cultura. Como já falamos neste quadro, o Fundo foi criado pela Lei Rouanet com verba proveniente de diversas fontes de renda para atuação direta do Estado em Cultura.
Agora o Governo põe em prática a idéia de setorizar a administração do Fundo. O Fundo setorial do Audiovisual foi o primeiro de cinco que serão criados. Os próximos serão: Artes, Livro e Leitura, Patrimônio e Acesso, Cidadania e Diversidade.
Ao que tudo indica, a administração dos recursos ficará mais especializada. Mas a eficácia da setorização só poderá ser medida com o passar do tempo. Ao longo de 2009 já poderemos observar algumas respostas.
Outro tema do quadro de hoje é um edital encabeçado por vários órgãos para produção de curtas em animação. Na primeira etapa serão 18 projetos contemplados com 110 mil reais.
Mas o mais legal está na segunda fase: os curtas produzidos com o incentivo da primeira etapa serão exibidos na Rede Pública de Televisão e será feita pesquisa com telespectadores para avaliar as duas animações com melhor receptividade entre o público.
Os produtores dos dois curtas mais destacados receberão 950 mil para produzirem um série de 12 episódios, que também será exibida na Rede Pública de Televisão.
Pra quem trabalha com Animação, está aí uma boa oportunidade. Para mais informações acesse o site: animatv.cultura.gov.br.
O texto integral deste quadro estará no blog www.trilhasdocinema.com.br.
Um abraço e até a semana que vem com mais um “Legislação e Políticas Culturais”."

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Reprise

Pessoal... hoje e sábado (13.12) reprisaremos um dos programas anteriores.

O campeão de downloads:
edição nº4 - digitalidade audiovisual, com Guilherme Rosa e Michael Kerr.

Até a semana que vem.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

24 - Sessão da tarde

Você começou a gostar de cinema vendo a "Sessão da Tarde"?
Também tem um grupo de filmes que só viu nesta sessão?
E aqueles que você assistiu mas nunca ficou sabendo qual é o nome?

Fizemos um programa para lembrar dos bons (e dos maus - mas nem tanto) filmes da "Sessão da Tarde".
Foi um levantamento informal sobre os mais conhecidos, com informações aos ouvintes sobre alguns dos filmes mais clássicos, como "Quero ser Grande", estrelado por Tom Hanks.

Aliás, em "Quero ser Grande" tem uma famosa cena em que Tom Hanks e Robert Loggia tocam juntos num piano gigante. Quem lembra? (ou melhor, quem não lembra?).
Assista a cena clicando aqui.

Foi um bate papo bastante informal.
Esperamos que gostem.
O programa já está à disposição na barra ao lado.

Ju Recart - I feel good (James Brown)

video

Qual é a sua trilha? 24.

A Ju Recart pediu "I feel good", do James Brown.

Concessão de rádio e TV para parlamentares - possibilidade de proibição

A Subcomissão de Radiodifusão da Câmara dos Deputados preparou um relatório em que indica a necessidade de proibir a concessão de rádio e televisão para parlamentares.
Segundo o relatório, parlamentares não devem ser proprietários, controladores, gerentes ou diretores de empresas de radiodifusão.
A proposta se baseia no artigo 54 da Constituição Federal, pelo qual deputados e senadores não podem exercer as funções mencionadas em empresas concessionárias do serviço público.
O projeto propõe uma Emenda à Constituição com a proibição explícita de exercer essas funções em empresa de radiodifusão sonora e de sons e imagens. A emenda seria dirigida a quem esteja investido em cargo público ou no gozo de imunidade parlamentar.
A dificuldade de aprovação é justamente porque boa parte dos parlamentares não tem interesse em aprovar proposta de restrição quanto aos meios de comunicação. É um exemplo típico de que a votação restringe direitos da própria classe. Nesses casos, mais do que nunca, a pressão tem que vir de fora – a sociedade exigindo uma atitude dos membros do Congresso.
Quem quiser acompanhar o caso pode acessar o portal "Congresso em Foco".
O texto deste artigo vai estar à disposição no blog do programa: www.trilhasdocinema.com.br.
Um abraço e até a semana que vem no quadro “Legislação e Políticas Culturais”.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

A cultura pop nos filmes de Tarantino

O Max Cirne finalizou um Trabalho de Conclusão de Curso sobre a cultura pop nos filmes de Tarantino.
As análises sitemáticas do trabalho demonstraram uma quantidade enorme de referências.
No programa mencionamos o que é cultura pop e como ela está presente nos filmes do diretor.
Depois falamos sobre a maneira como Tarantino utiliza as refências de cultura pop: o diretor copia os outros filmes? Ou recria? Se recria, qual é o valor agregado às novas realizações?

Links:
Referências no Cinema: Neste link há vários exemplos de referências dos filmes de Tarantino.
O Código Tarantino: Selton Mello e Seu Jorge dizem ter descoberto os cógido dos filmes de Tarantino.
Na foto: cena de "À prova de morte" (Death Proof) - homenagem aos filmes Grindhouse.

Indicativos da Reforma da Lei Rouanet

"Há algumas semanas estamos repercutindo aqui no quadro ‘Legislação e Políticas Culturais’ o processo de reforma da Lei Rouanet que está em curso, movido pelo Ministério da Cultura.
O Ministro Juca Ferreira está participando de uma série chamada ‘Diálogos culturais’ em que expõe as considerações acerca do estado atual do sistema da Lei e aponta as diretrizes para a reforma.
No blog da Reforma, estão publicados os slides que Juca Ferreira está usando para expor as informações. Ali já podemos ter idéia sobre algumas mudanças efetivas que serão propostas.
Há a possibilidade de todos os projetos atingirem 100% de renúncia fiscal, bastando que tenham boa pontuação no momento da análise da Comissão Nacional do Incentivo à Cultura. Atualmente há um rol de áreas que podem obter a renúncia de 100%. As áreas culturais que não estão nesse rol recebem incentivo fiscal nos percentuais convencionais, que ficam em torno de 30%.
Outra alteração seria a criação de um decreto presidencial a ser editado todos os anos com as diretrizes que devem orientar os incentivos. Ou seja, a cada ano o Presidente da República teria que publicar os critérios pelos quais os incentivos seriam concedidos naquele período.
Esta proposta tende a gerar certa polêmica. O sistema da Lei Rouanet é complexo e envolve a participação de vários setores da sociedade e do poder público. Neste caso, se estaria concedendo ao Executivo maior autonomia do que possui atualmente. As diretrizes para os incentivos fiscais hoje estão fixadas na própria Lei Rouanet e não exigem, sequer admitem, complementação presidencial.
O texto deste quadro estará á disposição no blog http://www.trilhasdocinema.com.br/.
Quem quiser se aprofundar no assunto pode acessar o blog: blogs.cultura.gov.br/reformadaleirouanet.
Um abraço e até a semana que vem com mais um ‘Legislação e políticas culturais’."

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

O cinema de Michael Haneke


Tivemos a satisfação de contar com a participação da Ana Paula Penkala.
A Ana apresentou um trabalho sobre o Haneke no Regiocom, evento internacional sediado na UCPel entre 12 e 14 de novembro.
Haneke se destaca por sua estética bastante peculiar: filmes com ritmo lento, mas com picos de violência. É uma obra complexa que Ana Paula está estudando no doutorado na UFRGS.
Recenetemente o diretor fez uma refilmagem americana de Violência Gratuita.


Esperamos que gostem.
O programa já está à disposição na barra ao lado.

Jenifer Morais - Star Wars


video

Quadro "Qual é a sua trilha?". A Jeniffer Morais pediu Star Wars e nós tocamos.

Composição: John Williams.

Verba para Cultura pode aumentar em 2009

"A verba do Governo Federal para aplicação direta em Cultura pode quase dobrar em 2009. Se as emendas ao Orçamento que tramitam na Câmara e no Senado forem aprovadas, o montante pode chegar a 2,1 bilhões de reais. Significa 0,9 por cento do orçamento brasileiro.
A disputa por maior dotação orçamentária foi uma das bandeiras da administração de Gilberto Gil. A Unesco recomenda que haja pelo menos 1 por cento. Mas a realidade no Brasil geralmente ficava aquém deste percentual. De 0,2 por cento entre 2002 e 2003, passando por 0,5 por cento em 2007, pode-se chegar a 0,9 por cento em 2009.
Não se deve esquecer essa verba é para aplicação direta, ou seja, para investimento nos projetos que o Ministério da Cultura seleciona desenvolver. Há também mais um montante aplicado por meio das Leis de Incentivo à Cultura, que tem variado em torno de 1 bilhão de reais por ano.
A ampliação da dotação orçamentária ainda tramita nas Comissões de Educação e Cultura do Senado e da Câmara. Vamos acompanhar se vai mesmo ser concretizada.
Este quadro estará à disposição no blog do programa: www.trilhasdocinema.com.br.
Um abraço e até a semana que vem com o próximo ‘Legislação e Políticas Culturais’."

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Paul Thomas Anderson


O diretor de clássicos dos anos 90: Boogie Nights e Magnólia.

Da geração do VCR (Video Cassete Recorder). O primeiro grupo de diretores que cresceu influenciado pelos filmes locados em videolocadoras. Demonstram um conhecimento invariavelmente vasto da cultura cinematográfica. No grupo, também se destaca Quentin Tarantino.

P.T. Anderson lançou em 2007 o filme Sangue Negro, que teve sucesso de público (aprox. 75 milhões de dólares de bilheteria) e de crítica, sendo indicado a 8 Oscars.

Esperamos que gostem do programa!!
(na foto, P. T. Anderon dirige Daniel Day Lewis no filme Sangue Negro.)


A reforma da Lei Rouanet

As discussões sobre a reforma da Lei Rouanet seguem em ritmo acelerado. Como já mencionamos neste quadro, no novo Ministro da Cultura, Juca Ferreira, iniciou uma empreitada para executar a tão discutida reforma.
A Lei Rouanet é responsável pela injeção de aproximadamente 1 bilhão de reais na área Cultural. Mas a distribuição desses recursos tem apresentado problemas de concentração. Por exemplo, em 2006, foram mais de 80% do total para Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. O Rio Grande do Sul ficou com aproximadamente 4 por cento.
A concentração não é a única crítica ao mecanismo. Quem quiser se inteirar mais sobre isso, sob o ponto de vista do governo, pode acessar o blog: blogs.cultura.gov.br/reformadaleirouanet.
O Ministério da Cultura tem feito uma série de “diálogos culturais”, para debater questões relativas à administração cultural, como os novos rumos do IPhan e da Funarte. Mas o tema principal gira mesmo em torno da reforma da Rouanet. Os diálogos já foram realizados no Rio de Janeiro e em Salvador e agora chegam a São Paulo. Ainda não há previsão para os diálogos culturais no Rio Grande do Sul.
Os editores do site “Cultura e Mercado” estão com uma campanha para a fiscalização do processo de reforma. O site trata exclusivamente de questões culturais, com um time respeitável de colaboradores, e tem se destacado por fazer um contraponto às gestões de Gil e Ferreira no Ministério.
Os editores do site alegam que é preciso conhecer para mudar. Eles estão elaborando um documento com perguntas sobre a Lei Rouanet. O documento pode ser visualizado no site e o internauta pode sugerir perguntas. Anote aí o endereço: http://www.culturaemercado.com.br/.
Nas próximas semanas seguiremos repercutindo a pauta da reforma da Lei Rouanet.
O texto deste quadro estará a disposição no blog do programa: http://www.trilhasdocinema.com.br/.
Um abraço e até o próximo “Legislação e Políticas Culturais."

Qual é 21 - Sandra - Ghost

video

Qual é a sua trilha? 21

Sandra pediu Ghost.

Rodamos a clássica "Unchated Melody", de Alex North e Hy Zaret, interpretada no filme por "The Righteous Brothers"

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

O fascínio das imagens - clipes do Gotan Project


Conversamos sobre a fascinação das imagens.
A Ju Recart está finalizando um Trabalho de Conclusão de Curso sobre o tema e comentou algumas questões.
Por exemplo:
Você sabe o que é fascinação estética?
Metaimagens?
E fantasmagoria tecnológica?

Foram alguns dos temas conversados no programa.

O trabalho da Ju Recart tem foco no clipe "Santa Maria del Buen Ayre", do Gotan Project. Conforme prometido, postamos um link para assistir ao vídeo no YouTube.
De quebra, outro clipe do grupo, da mesma diretora (Prisca Lobjoy): "Diferente".

Clipe Diferente.

Vocês podem ouvir o programa clicando no botão ao lado: "Programas completos".
Na foto, imagem do clipe "Santa Maria".
Esperamos que gostem!!


"Oh, Preety Woman" (Uma linda mulher), de Roy Orbinson


video


Qual é a sua trilha?

A Lara pediu e nós tocamos.

Filme "Uma linda Mulher".

"Oh, Preety Woman", de Roy Orbinson.

"Estado e Cinema no Brasil", de Anita Simis

" Por que a indústria do cinema brasileiro não se desenvolveu? O Estado não deu o apoio necessário? E agora o Estado oferece esse apoio? Ou os cineastas do Brasil não têm competência? Ou, ainda, é o cinema americano que não deixa o nacional se desenvolver?
Essas e outras questões são tratadas com detalhes no livro ‘Estado e Cinema no Brasil’, de Anita Simis. O livro é resultado de 10 anos de trabalho sobre alguns dos momentos cruciais da relação entre o Estado e o Cinema no país. As discussões sobre essa história podem ajudar a entender a situação em que estamos hoje e a construir os passos para o futuro.
Sabemos que hoje o Cinema nacional vem demonstrando uma notável evolução técnica, inclusive com reconhecimento internacional. 'Central do Brasil', 'Cidade de Deus' e 'Tropa de Elite' são apenas alguns exemplos representativos.
Mas acontece que o cinema nacional não consegue atingir os índices de mercado que essa produção merece. Para se ter uma idéia, o pico das bilheterias do cinema brasileiro desde a década de 1990, foi em 2003, quando atingiu cerca de 16 por cento nos cinemas brasileiros. Alguns filmes puxaram os índices: Carandiru, Lisbela e o Prisioneiro e os Normais.
Só que o mais comum é variar na casa dos 10%, bem aquém do necessário para manter um mercado de Cinema e dos quase 30% que chegou a ter na década de 1970.
Por isso tudo têm sido feitas constantes discussões acerca das formas de impulsionar a indústria do Cinema.
Para quem quer se inteirar um pouco mais do assunto, este estudo da Anita Simis parece ser fundamental.
Lembrando: ‘Estado e Cinema no Brasil’, de Anita Simis.
O texto deste quadro estará à disposição no blog http://www.trilhasdocinema.com.br/. Um abraço e até o próximo ‘legislação e políticas culturais’. "

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Cairo Pinheiro - A Ponte do Rio Kwai (Malcolm Arnold)


video


Qual é a sua trilha? Cairo Pinheiro pediu e nós tocamos.

"A Ponte do Rio Kwai".

Filme de David Lean. Trilha de Malcolm Arnold.

Ministério da Cultura intensifica movimentação para reforma da Lei Rouanet

" O Ministério da Cultura deu início à empreitada para reformar a Lei Rouanet. Há uma série de medidas que tenciona alterar até o ano que vem alguns dos mecanismos da principal forma de financiamento do governo federal em cultura.
Segundo o site do Ministério, o objetivo é realizar fóruns de discussão em cada região do Brasil.
Além disso, já está no ar um blog para a publicação de documentos sobre a Lei. O espaço virtual também serve para manifestação do público. O endereço é o seguinte. Não é fácil, então preste atenção e anote: blogs.cultura.gov.br/reformadaleirouanet/.
O Ministro sinalizou que defende a inclusão de formas para controlar a concentração de recursos. Por exemplo, medindo o índice de desenvolvimento humano do contexto de produção do projeto financiado.
Outro tema destacado é a dedução de 100% no imposto de renda. Da forma como está hoje, a Lei Rouanet autoriza em algumas áreas que a empresa obtenha abatimento no imposto sobre todo o valor que empregou no projeto. Segundo o Ministro, quando for assim, ou seja, dinheiro 100% público, o Estado deveria aplicar diretamente nos projetos seguindo os critérios da administração pública.
Enfim, ainda temos um longo caminho de debates até o projeto final para alteração da Lei Rouanet.
Quem não conseguiu anotar o blog sobre a reforma da Lei Rouanet, pode entrar no blog do programa que vai conter um link direto. Além, é claro, do texto completo deste quadro.
O endereço é www.trilhasdocinema.com.br/.
Um abraço e até o próximo Legislação e políticas culturais. "
Bruno Leites

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

A mpb e o cinema nacional


Mpb e o Cinema
o Cinema e a Mpb

Sulimar Rass veio ao programa para conversarmos sobre alguns encontros do Cinema Nacional e da Música Popular brasileira.
De quebra, tocou alguns clássicos: "É d`oxum" (Jerônimo Santana), "Paciência" (Lenine), "Bicho de 7 cabeças" (Geraldo Azevedo e Zé Ramalho) e "Apesar de você" (Chico Buarque).
As trilhas são dos filmes (em ordem): "Ó Paí Ó", "Os Amadores", "Bicho de 7 cabeças" e "Zuzu Angel".

Esperamos que gostem!
(na foto Patrícia Pilar como Zuzu Angel.)

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Linha de Passe e o cinema de Walter Salles


Walter Salles é um dos diretores brasileiros com maior reconhecimento internacional.
Esteve presente nas fases mais importantes desde o cinema da retomada: em 1995, fez Terra Estrangeira, em 1998, fez Central do Brasil, em 2002, produziu Cidade de Deus.
Depois de um período de produções internacionais, como Água Negra (2005), Salles voltou ao país pra fazer um filme eminentemente brasileiro.
O filme traz Sandra Corveloni no papel de mãe de família da periferia paulistana: temos motoboy, aspirante a jogador de futebol, fiel evangélico, empregada doméstica - um retrato atual (e original) de São Paulo e da grande cidade brasileira.

O raro exemplo do financiamento de Linha de Passe

" O filme Linha de Passe de Walter Salles é um dos raríssimos exemplos de filmes de longa metragem nacional feito sem o auxílio das leis de incentivo à cultura.
O financiamento do filme aconteceu por verbas de investidores internacionais, que acreditaram no retorno comercial do filme.
O financiamento privado de Linha de Passe se deve em grande parte ao prestígio conquistado pelo diretor com os filmes precedentes.
Agora, ao longo deste ano, Walter Salles passará por um ‘puxado’ calendário para vender o filme, incluindo muitas sessões, palestras e debates nos locais onde Linha de Passe vai estrear.
Temos comentado bastante neste quadro sobre as leis de incentivo à cultura e a dependência que o Cinema Nacional da retomada demonstra frente a elas.
Em entrevista concedida ao portal ‘Último Segundo’, Salles demonstrou desconforto com o atual modelo de financiamento. Disse que a idéia de o cinema brasileiro ser em grande parte definido por diretores de marketing das empresas não lhe parece desejável.
Porém, o diretor destacou que atualmente, é impossível construir uma cinematografia sem o suporte do Estado e que esta é uma realidade de todos os países desde a França até a Argentina.
Pra encerrar o quadro, só a título de curiosidade, a produtora Video Filmes, da qual Salles é sócio, tem feito a neutralização do carbono para compensar emissões poluentes feitas em decorrência da produção dos filmes.
Para Linha de Passe foram plantadas 7.500 árvores, que iram compensar a poluição de transportes e outras atividades realizadas durante produção e filmagens da obra.
Encerramos o quadro legislação e políticas culturais.
O texto do quadro vai estar disponível no blog do programa: http://www.trilhasdocinema.com.br/.
Um abraço e até a semana que vem. "
Bruno Leites

Santiago Machado - Heroes, do filme Godzila


video


Santiago Machado pediu e nós tocamos:


Filme "Godzila" - The Wallflowers, Heroes.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Lançamentos em DVD - 22/10/08


A comédia O GURU DO AMOR foi um fracasso nas bilheterias norte-americanas, e chega aqui, no Brasil, direto em DVD. Na trama, o personagem-título, interpretado por Mike Myers, fica famoso resolvendo problemas amorosos e causando confusões. Ainda no elenco, Jessica Alba e Justin Timberlake.

AS STRIPPERS ZUMBI aproveita o embalo dos filmes grindhouse "Planeta Terror" e "À Prova de Morte". O terror trash inicia quando uma agência secreta do governo libera um vírus que reanima os mortos. O primeiro lugar atingido é uma casa de strippers. Uma das dançarianas é contaminada e se transforma em um zumbi devorador de carne humana. Imediatamente, essa característica faz com que se torne a sensação do local.

O drama RÔMULUS, MEU PAI aborda o relacionamento familiar entre um pai e um filho que tentam lidar com o temperamento problemático da mãe. No elenco, Eric Bana e Franka Potente.

A comédia UMA MÃE PARA MEU BEBÊ estranhamente chega em DVD sem passar pelo cinema. O filme fez um enorme nos Estados Unidos e promete o mesmo nas locadoras brasileiras. A comédia é sobre uma mulher solteira infértil que decide contratar uma mulher para ser barriga de aluguel. O longa-metragem rende boas risadas e tem como protagonista, a atriz Tina Fey.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

A estética e a cosmética da violência


Conversamos sobre a "Estética e a cosmética da violência".
O programa tem uma entrevista com a Ana Paula Penkala, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que trabalha com a estética da violência no Cinema.
Quem quiser conhecer mais do trabalho da Ana Paula, pode acessar o blog "O Cinematographo II".

A Cosmética da Violência é termo cunhado pela Ivana Bentes para contrapor aos filmes de violência feitos atualmente aos filmes do Cinema Novo ("Estéticas da violência" - leia aqui).
A autora se baseou em manifesto do Glauber Rocha sobre a estética utilizada nos filmes do Cinema Novo (leia aqui).

Para saber mais sobre os filmes de Glauber Rocha e conhecer um vasto material sobre a obra do cineasta, acesse o portal "Temo Glauber".
A foto do post é de Manuel (Geraldo del Rey) em "Deus e o Diabo na Terra do Sol".

O programa já está disponível para download.
Esperamos que gostem!

Paula Thoffern - Jardim das rosas

video

Qual é a sua trilha?

Paula Thoffern pediu e nós tocamos.

Filme "Jardim das Rosas (Rose Garden)" - Dont`t Panic, de Coldplay.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Lançamentos em DVD 15/10/08


O suspense adaptado de um conto de Sthepen King, O NEVOEIRO, coloca vários personagens presos em supermercado, ameaçados por uma névoa que esconde criaturas sanguinárias. Mesmo com muito terror na tela, a produção discute temas relevantes como a luta pela sobrevivência e o fanatismo religioso. Quem assina o projeto é Frank Darrabont, o mesmo diretor de "À Espera de Um Milagre" e "Um Sonho de Liberdade".

O drama PECADOS INOCENTES traz Julianne Moore como uma mãe que tem relações incestuosas com o filho. A trama é baseada em uma história real.

O romântico AMOR E INOCÊNCIA, com Anne Hathway e James McAvoy como protagonistas, é uma cinebiografia da escritora Jane Austen, que deu vida ao clássico "Orgulho e Preconceito".

O sucesso JOGO DE AMOR EM LAS VEGAS é um divertido passatempo para quem quer um filme mais leve. Ashton Kutcher e Cameron Diaz apresentam a química necessária para realizar um filme engraçado e romântico.

Edilba - Expresso da Meia Noite (Tema)

video

O Edilberto Treptow (Edilba) pediu e nós tocamos.

Tema do filme "Expresso da Meia Noite" - Vangelis.

domingo, 12 de outubro de 2008

Ensaio sobre a cegueira e o cinema de Fernando Meirelles


Conversamos sobre "Ensaio sobre a Cegueira", adaptação de Fernando Meirelles do livro de José Saramago. O filme gerou muita controvérsia na exibição em Cannes e nos Estados Unidos, mas tem sido bem recebido no Brasil.
Saramago adorou a adaptação. No YouTube tem um vídeo com a reação do escritor ao final da exibição. Ao seu lado, Fernando Meirelles quase não se segura na cadeira, visivelmente ansioso com o momento.
Assista ao vídeo aqui.

Apresentamos também entrevistas com Assunção Hernandes, produtora brasileira com mais de 30 anos de carreira, tendo produzidos filmes importantes como "O homem que virou suco" (1981) e "A dama do cine Shangay" (1987), e Horácio Grinberg, produtor e roteirista brasileiro, produziu "Diário de um novo mundo" (2005) e "Martin Fierro, la película" (2007).
Veja mais informações clicando sobre os nomes:

Esperamos que gostem.
O programa está disponível na barra ao lado.

Crise na Funarte e no Ministério da Cultura

" Na última semana uma crise foi deflagrada no Ministério da Cultura, começando pela FUNARTE. Primeiro, vale mencionar que a FUNARTE é um órgão fundamental da administração pública da cultura, voltada para atuação em artes cênicas, artes visuais e na música.
Ocorre que no último dia 4, o jornal “O Globo” publicou uma reportagem acusando o presidente da instituição (o ator e diretor teatral CELSO FRATESCHI), de favorecer o grupo de teatro Ágora (grupo este fundado pelo próprio Frateschi).
Além disso, no mesmo dia, veio outra bomba: a associação dos servidores da Funarte lançou um documento em repúdio à administração de Frateschi. A acusação é de autoritarismo e desrespeito ao funcionalismo da Funarte.
A atitude imediata de Frateschi foi endereçar uma carta para o Ministro da Cultura, pedindo a exoneração do cargo.
Na carta, Frateschi alega que o grupo Ágora jamais fora favorecido, e que na época da aprovação do projeto as análises da Funarte não estavam demorando como as análises feitas por outros órgãos do Ministério.
Por tudo isso, já se fala em uma possível “manipulação” por parte do atual ministro da cultura, Juca Ferreira. As acusações são de que o atual ministro pratica atos stalinistas, no sentido de usar o poder do cargo eliminar os desafetos internos.
De qualquer maneira, os fatos ainda não estão bem esclarecidos. Quem quiser saber um pouco mais sobre a polêmica pode acessar o site www.culturaemercado.com.br.
Mas atenção: a opinião de alguns editores do portal é manifestamente contrária ao atual Ministro da Cultura. Ao ler os textos, é importante saber diferenciar onde estão os fatos em meio aos discursos.
Quem quiser ler este texto pode acessar o blog do programa www.trilhasdocinema.com.br.
Tenham todos uma boa semana e até o próximo quadro legislação e políticas culturais. "
por Bruno Leites

domingo, 5 de outubro de 2008

Programação de outubro

Veja a programação completa do mês (clique nas imagens).







Matheus Cardoso (Radical) - O Cemitério Maldito


video


Qual é a sua trilha?


Matheus Cardoso (Radical). Pediu "Cemitério Maldito" - Pet Cemitery - Ramones.

Fundacine comemora 10 anos de atividades

Quadro "Legislação e Políticas Culturais"

" Fundacine comemora 10 anos de atividades
Há 10 anos foi criada a Fundação Cinema RS, uma entidade privada para atuar na área cinematográfica dentro do Estado.
Para comemorar os dez anos de existência, a Fundacine está realizando uma série de atividades em Porto Alegre. Dentre os eventos, destacam-se exibições de filmes gaúchos, seminários, exposições e o lançamento do “Catálogo do Cinema RS”, previsto para novembro.
Para ver os detalhes da programação, como datas e formas de participação, o ouvinte pode acessar o site http://www.fundacine.org.br/.
Como parte da programação prevista, foi realizado seminário para debate sobre o mercado cinematográfico e oficina durante a programação do SET Universitário, na PUC.
Horácio Grinberg, produtor e roteirista argentino, questionou o fato de que as produções ainda são pensadas somente para a exibição em cinemas, quando há outros meios de distribuição que exigem outros tipos de produtos audiovisuais. Ou ainda, que obras sem sucesso nas salas de Cinema podem ter vida longa se melhor aproveitadas em outros suportes, como a televisão e a internet.
Já Assunção Hernandes, experiente produtora brasileira, rebateu o argumento de que os filmes brasileiros não são atraentes para o público. “Os nossos filmes podem não ser atraentes para a pequena parcela da população brasileira que tem condições de ir ao Cinema. Mas são atraentes para o grande público.” Segundo Assunção, faltam salas nas cidades do interior e preços justos para que o público das classes C, D e E possa freqüentar o Cinema.
Ambos os palestrantes deram entrevistas à equipe do “Trilhas do Cinema”. Ao longo da programação do mês de outubro vamos divulgar as entrevistas aqui no programa e também no site http://www.trilhasdocinema.com.br/. Não perca. Um abraço e até o próximo quadro “Legislação e Políticas Culturais”. "
por Bruno Leites

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Lançamentos em DVD - 01/10/08


A OUTRA

Tendo como base o best seller A Irmã de Ana Bolena, de Philippa Gregory, o drama de época foca nos bastidores da história das irmãs Bolena. Na Inglaterra do século 16, duas irmãs, Mary (Scarlett Johansson) e Anne Boleyn (Natalie Portman), influenciadas pelo pai, que deseja status social e político para sua família, disputal o posto de amante do Rei Henrique VIII (Eric Bana).

HORTON E O MUNDO DOS QUEM

Horton é um simpático elefante que possui uma imensa imaginação. Ele ouve um estranho pedido de socorro que parece vir de um microscópico grão de poeira que flutua no ar. Seus amigos acham que o elefante enloqueceu de vez, mas Horton está disposto a ajudar, seja quem for.

Vozes na versão original: Jim Carrey, Steve Carell, Seth Rogen, Isla Fisher.


INDIANA JONES E O REINO DA CAVEIRA DE CRISTAL

Este longa marca a volta de uma das franquias mais bem-sucedidas de Hollywood, interrompida em 1989 com Indiana Jones e a Última Cruzada. Dezenove anos depois do lançamento do último longa, o herói irá se aventurar em 1957, no meio da Guerra Fria, tendo os soviéticos como vilões da história. Em DVD duplo, ainda, com detalhes sobre como foi feita a superprodução, dirigida por Steven Spielberg.

Cinema e Semiótica - As trilhas de suspense dos filmes de Hitchcock


Já ouviram falar em Bernard Herrmann (esse que está dormindo ao lado de Hitchcock)?

Pois é... fez as trilhas do maiores sucessos de Hitchcock. "O Homem que sabia demais" (1956), "Um Corpo que Cai" (1958), "Intriga Internacional" (1959), Psicose" (1960), entre outros. Até em "Os Pássaros" (1963), sem trilha musical, foi ele quem fez os sons das aves.
Além disso, Hermman compôs nada menos do que a trilha sonora de "Cidadão Kane" (1941) e "Taxi Driver" (1976) (a última da carreira) . Além de vários outros sucessos.

No programa de hoje conversamos sobre as trilhas de suspense dos filmes de Hitchcock sob o ponto de vista da Semiótica.
O Prof. Dr. Antônio Heberlê (Toninho) participou e "apresentou" a semiótica: o que é, principais autores, conceitos, a importância etc.

Tentamos trazer um tema da maior importância, complexo, "uma viagem" (como muitas vezes parece para quem está de fora do assunto), da forma mais didática possível, com o professor Toninho.

Acho que o resultado ficou acima do esperado!!
Esperamos que gostem!!

domingo, 28 de setembro de 2008

Vanessa Silveira - Sou Você. Filme Orfeu - de Caetano, por Toni Garrido


video


Qual é a sua trilha?


Com Vanessa Silveira. Filme "Orfeu". "Sou Você" - Música de Caetano Veloso, cantada por Toni Garrido.

Entrevista advogado de Flávio Aguilardi (empresário envolvido nas fraudes à LIC)


video


Conforme disse no quadro Legislação e Políticas Culturais do dia 24/9 (post anterior), estou postando entrevista do advogado de Flávio Aguilardi, empresário envolvido nos escândalos envolvendo a LIC. A entrevista foi concedida para o programa "Gaúcha, 19 horas", da Rádio Gaúcha, no dia 19/9.

Bruno Leites.

Fraude na LIC estadual

Quadro legislação e políticas culturais (24/9)

"Fraude na LIC estadual

Há menos de duas semanas o sistema da Lei de Incentivo à Cultura do Rio Grande do Sul vem sofrendo suspeitas de fraude. Há produtores, empresários e membros da Secretaria de Cultura e também do Conselho Estadual de Cultura envolvidos nas denúncias.
Segundo o site “Cultura e Mercado”, as fraudes começaram a ser descobertas por meio de reportagem da RBS TV. De acordo com uma denúncia anônima o festival “Porto Alegre em Dança” teria captado recursos mesmo sem aprovação do Conselho Estadual de Cultura.
O modo de operação dos fraudadores seria o da falsificação da assinatura da Secretária de Cultura, gerando uma falsa autorização para o projeto captar recursos junto à iniciativa privada. A Secretária de Cultura reconheceu que as algumas assinaturas suas utilizadas para captação são falsas.
Resta saber, ainda, se as empresas que incentivavam os projetos sabiam da fraude.
Outra forma de corromper a LIC foi denunciada pelo empresário Flávio Aguilardi em depoimento ao Ministério Público na sexta-feira dia 19. Segundo Aguilardi, os empresários exigiam a devolução de 25% do valor entregue em forma de incentivo. Mas esse percentual deveria ser a contrapartida da iniciativa privada para o projeto cultural.
Quando fosse comprovar o forma de alocação dos recursos, não restaria ao produtor outra opção senão a de usar notas falsificadas, como Aguilardi reconheceu que fazia.
Além disso, o produtor revelou nomes de outras pessoas envolvidas, inclusivas de dentro da Administração Pública.
Aguilardi iria depor novamente no Ministério Público durante esta semana. Mas até o momento da gravação deste quadro, as informações sobre o depoimento ainda não haviam sido divulgadas.
Semana que vem sigo fazendo a repercussão das fraudes envolvendo a LIC.
Para ler o texto dos quadros “Legislação e Políticas Culturais”, acesse o site do programa – http://www.trilhasdocinema.com.br/. Nesta semana, postaremos também a entrevista do advogado de Aguilardi, concedida à Rádio Gaúcha, sobre as fraudes envolvendo a LIC. "
por Bruno Leites

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Conferências de Wenders e Lynch no "Fronteiras do Pensamento"

Dois dos maiores nomes do Cinema contemporâneo (e de todos os tempos, por que não?) estiveram em Porto Alegre em agosto nas conferências "Fronteiras do Pensamento".

Lynch foi acusado de pouco falar de Cinema, já que aproveitou a oportunidade para lançar o seu livro "Em águas profundas", mais voltado para a meditação (que pratica há 30 anos) do que para o Cinema.

Já Wenders mencionou a existência de dois tipos de Cinema: o internacional, que circula pelas grandes capitais do mundo, e o local, feito em todo o mundo, "que não viaja". Wenders deixou um recado na sua conferência: "apóiem seus cineastas, apóiem a cultura cinematográfica local, apóiem o pequeno".

A prof. Andréa Schonhofen, do curso de "Cinema e Animação" da UFPel, prestigiou as duas conferências e veio ao "Trilhas" para compartilhar o aprendizado dessa experiência.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

David Lynch


O cultuado Lynch é tema do Trilhas desta quarta-feira!!

David Lynch começou fazendo curtas na década de 1960. Seus primeiros trabalhos foram extremamente experimentais e lhe abriram gradativamente as portas para as grandes produções.

Em 1977, faz seu primeiro longa: "Eraser Head". Segundo o Prof. Michael Kerr, Kubrick disse que foi um dos melhores filmes já feitos!!

Depois disso a carreira variou entre sucessos e fracassos: "Veludo Azul" (1987) ganhou Oscar de melhor filme; "Coração Selvagem" (1990) venceu Cannes; "Duna" (1984) foi fracasso de público e crítica.

No início da década de 1990, Lynch escreveu e dirigiu (alguns episódios) a série "Twin Peaks", seriado de grande sucesso internacional, inclusive no Brasil.

Os últimos filmes de Lynch têm acentuado seu caráter abstrato, apostando no uso de narrativas oníricas e não-lineares. "Cidade dos Sonhos" (2001) foi muito bem recebido pela crítica e pelo público que gosta de Lynch.

"Império dos Sonhos" (2007), que já pode ser encontrado nas melhores locadoras da cidade, radicaliza a experiência - diz-se que é o filme mais "aberto" do diretor. Definitivamente, a presença do espectador em "Império dos Sonhos" é imprescindível pra completar o sentido do filme.

Legislação e Políticas culturais

" Sobre aprovação de restauro da Catedral pelo Fundo Nacional de Cultura

Há pouco tempo saiu matéria de capa no Diário Popular dando conta de que a Catedral São Francisco de Paula conseguiu verba via Lei Rouanet para a restauração.
A verba conseguida foi através do Fundo Nacional de Cultura, um dos mecanismos previstos na Lei. Aqui, não há a necessidade de sair atrás de captação do mercado. Ou seja, não é preciso que se consiga uma empresa parceira no projeto.
Quando se fala em aprovação via Lei Rouanet há uma grande diferença entre o Fundo Nacional de Cultura e o Mecenato. No mecenato, é depois de aprovado pelo Ministério da Cultura que vem a parte mais difícil: conseguir a captação no mercado. No caso do Fundo, a parte mais difícil vem antes com a aprovação do projeto no Ministério.
Dessa forma, é muito diferente dizer que o projeto foi aprovado na Lei Rouanet se foi via mecenato ou via Fundo.
Há alguns meses saiu uma reportagem também no Diário Popular mencionando que a “Sociedade Pelotense Música pela Música” tinha projeto aprovado na Lei Rouanet para reestrutura da orquestra e construção de sede própria. Acontece que neste caso a aprovação era para o mecenato. Aí a história é outra: conseguir captação, numa região sem a presença de muitas empresas de grande porte como Pelotas, é, sem dúvida, a etapa mais difícil (às vezes quase impossível) da obtenção de verba via mecenato. "
por Bruno Leites

Qual é a sua trilha?

video

Professor de Semiótica Toninho Heberlê. Em breve estará tematizando um programa inteiro com a gente!

Créditos: Psicose - Bernanrd Hermman

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Trilhas do Cinema - Quentin Tarantino



Desde a década de 1990 o diretor Quentin Tarantino vem construindo o seu estilo.

Indiscutivelmente talentoso e original, o diretor busca experimentar a cada novo filme. Quando se esperava que repetisse o formato de narrativa não-linear de "Pulp Fiction" (1994), que venceu a Palma de Ouro, ele fez "Jack Brown" (1997). Depois, quando se esperava a mesma beleza plástica de "Kill Bill" (2003), ele lança "À prova de morte" (2007), uma homenagem ao filmes B dos anos 70 e 80.

Neste programa conversamos sobre a trajetória deste diretor.

O programa já está disponível para download na barra ao lado.
Reprise: sábado 18h, na Federal FM.

Programação - setembro









Clique nas imagens para ampliá-las.
Obs.: depois será preciso digitar novamente http://www.trilhasdocinema.com.br/ no navegador para retornar ao site.

Qual é a sua trilha?

video

Estudante Tereza, da Publicidade e Propaganda da UCPel.

Créditos da trilha: Charlie Clouser - Hellow zepp.

Legislação e políticas culturais

Programa 12.

" O Ministério da Cultura é responsável pela seleção do filme brasileiro indicado anualmente ao OSCAR. Dentre quase 100 indicações de países, os organizadores escolhem os cinco finalistas que concorrem ao prêmio de Melhor Filme Estrangeiro.
As inscrições para a seleção deste ano encerraram-se no último dia 8. Agora, na próxima terça-feira, dia 16, a comissão decidirá qual é o filme escolhido.
A Comissão é composta por 6 membros ligados ao Cinema. Dentre eles, neste ano, está o gaúcho Giba Assis Brasil, montador, roteirista, diretor e professor de Cinema.
No ano passado, o indicado brasileiro foi “O ano em que meus pais saíram de férias”, do diretor Cao Hambúrguer. Na época houve mal estar no país porque o favorito era o sucesso de bilheteria “Tropa de Elite”. O filme escolhido foi bem cotado na disputa, mas não chegou a estar entre os cinco finalistas. Parou na semifinal, entre os nove primeiro, e dizem que seria o próximo a entrar – o sexto colocado.
Quanto ao “Tropa de Elite”, meses depois, conseguiu reconhecimento internacional ao vencer o Urso de Ouro em Berlim. Até a gravação deste quadro não havia sido divulgada a lista dos concorrentes. Por hora, resta esperar a próxima terça-feira, e ver as polêmicas que a escolha da comissão invariavelmente despertam.
"
por Bruno Leites

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Tim Burton

O programa hoje traz uma conversa sobre este marcante cineasta, dono de um estilo inconfundível.
Burton fez clássicos como "Edward mãos de tesoura" e "Os Fantasmas se divertem".

Filmografia:

2007 - Sweeney Todd - O barbeiro demoníaco da rua Fleet (Sweeney Todd: The demon barber of Fleet street)2005 - A noiva-cadáver (Corpse bride, The)
2005 - A fantástica fábrica de chocolate (Charlie and the chocolate factory)
2001 - Planeta dos macacos (Planet of the Apes)
1999 - A lenda do cavaleiro sem cabeça (Sleepy Hollow)
1996 - Marte ataca! (Mars Attacks!)
1994 - Ed Wood (Ed Wood)
1992 - Batman - O retorno (Batman Returns)
1990 - Edward Mãos de Tesoura (Edward Scissorhands)
1989 - Batman - O filme (Batman)
1988 - Os fantasmas se divertem (Beetlejuice)
1985 - As grandes aventuras de Pee Wee (Pee-wee's Big Adventure)
1984 - Aladdin e a lâmpada maravilhosa (Aladdin and His Wonderful Lamp) (TV)
1984 - Frankenweenie (Curta)
1982 - Hansel and Gretel (TV)
1982 - Vincent (Curta)

Vincent

Assista à animação Vincent, primeiro trabalho de Burton.

Qual é a sua trilha?

video

Ediane Oliveira (Didi), do Jornalismo - UCPel.

Créditos da trilha: Carol Woods - Let it be.

Legislação e políticas culturais

Programa 11.

"Brasil tem novo Ministro da Cultura

Depois de 5 anos e meio o Brasil tem um novo Ministro da Cultura. Seu nome é Juca Ferreira. Ele atuava como secretário executivo do Ministério da Cultura (MinC), na época do Ministro anterior, Gilberto Gil.
As políticas do Minc seguem com os mesmos princípios. Juca Ferreira tinha participação ativa nas diretrizes desde que assumiu a secretaria executiva. Por vezes, quando Gilberto Gil se ausentava, era ele quem assumia a pasta.
Juca Ferreira é sociólogo baiano com formação na França. Esteve exilado no Chile e na Suécia, na época da ditadura militar. Participou de projetos culturais na Bahia e foi duas vezes eleito vereador na cidade de Salvador. Então, como dito, mesmo com a troca de Ministro, a políticas culturais do Governo Federal tendem a manter as mesmas diretrizes. "


por Bruno Leites

sábado, 30 de agosto de 2008

"Qual é a sua trilha?" - Tomas Passos


video


Tomas Passos lembrou da trilha do filme "O Poderoso Chefão" (Nino Rota).

Então, o Trilhas tocou!

"Trilhas Entrevista" - Janete Jarczeski


video


Nesta semana o Trilhas mostrou entrevista com Janete Jarczeski, sócia-proprietária do Cine-Dunas no Cassino e em Rio Grande (sala nova que abriu no final de agosto).

Ela conversou sobre a bilheteria do Cinema Nacional: a procura, as reações, as expectativas.

Foi muito interessante saber as percepções de alguém de dentro do mercado!

Esperamos que gostem!!

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

A bilheteria no Cinema da Retomada

Os dados de bilheteria mostram que o "Cinema da Retomada" conseguiu conquistar um razoável espaço entre o público, mas que ainda está bastante atrás do sucesso das décadas de 70 e 80.
Talvez seja possível afirmar que o Cinema feito anteriormente (aquele dos grande sucessos de público) seja de menor qualidade técnica e artística.
O inquestionável, porém, é que o processo de fortalecimento do Cinema no Brasil precisa ser feito também junto ao público, e que esta caminhada não pode parar.

No programa conceituamos o "Cinema da Retomada", apresentamos dados dos maiores sucessos de bilheteria do período e conversamos um pouco sobre os 5 maiores sucessos de público desta época: (em ordem) "2 Filhos de Francisco", "Carandiru", "Se eu Fosse Você", "Cidade de Deus" e "Lisbela e o Prisioneiro".
Há ainda entrevista com a Janete Jarczeski, proprietária (sócia) do "Cine-Dunas" Cassino e Rio Grande, que falou da repercussão dos filmes nacionais entre o público que frequenta o "Cine-Dunas".

O programa completo está à disposição no link ao lado.

Legislação e políticas culturais

Programa 10 - 27/9 - A bilheteria no Cinema da Retomada

" Sistema de distribuição do Cinema nacional

O Cinema brasileiro da retomada é marcado pelo financiamento via leis de incentivo. O que é um fenômeno realmente novo no modo de fazer Cinema no Brasil.
Nos anos 70, 80 e 90 a produção no país foi feita principalmente por meio da Embrafilme, uma empresa estatal para fomento do Cinema. Porém, o Governo Collor extinguiu a Embrafilme em março de 1990.
Já houve época, também, em que se fez Cinema no Brasil através de grandes produtoras, nos moldes da produção norte-americana. Uma das maiores foi a "Companhia Cinematrográfica Vera Cruz", na década de 50.
As leis de incentivo têm sido a principal forma de fomento à cultura no Brasil desde o final do século passado. Dentro desse contexto, o Cinema tem apoio especial, através de uma lei específica – a "Lei do Audiovisual",
e ainda assim pode usufruir do mecanismos da Lei Rouanet.
Mas há uma crítica feita a esse modelo de financiamento por causa da distribuição. Não há uma necessidade de retorno financeiro dos filmes: os produtores já são pagos (pelo menos quase totalmente) com a própria produção dos filmes.
Tem outra questão: como os filmes são financiados quase 100% com verba pública, seria de se esperar que chegassem a um grande público: mas, de fato, não é o que vem acontecendo. Vê-se que filmes nacionais com reconhecida qualidade técnica não chegam às salas de Cinema e às locadoras dos lugares afastados das capitais.
A Lei exige uma cota mínima de filmes nacionais nos Cinemas. Porém, esses filmes várias vezes são rodados sem divulgação: também um convite ao fracasso.
Os dados de bilheteria do Cinema da retomada indicam que ainda há um caminho a trilhar no sentido de atrair o público para os filmes nacionais – um desafio de garantir a distribuição e o acesso ao Cinema nacional sem perder a qualidade artística. "

Bruno Leites